domingo, 6 de fevereiro de 2011

Bento XVI fala sobre os conflitos no Egito

"Nestes dias acompanho com atenção a delicada situação da querida nação egípcia. Peço a Deus que aquela terra, abençoada pela presença da Sagrada Família, reencontre a tranquilidade e a pacífica convivência, no compromisso compartilhado pelo bem comum".

Estas foram as palavras ditas por Bento XVI neste domindo, 6, após a tradicional oração do Angelus, na Praça de São Pedro, no Vaticano.

As movimentações que exigem a deposição do presidente do Egito, Hosni Mubarak, começaram no dia 25 de janeiro e incluem perseguições policiais e protestos. Ontem, 5, a liderança do partido governista do Egito renunciou, depois dos protestos que abalaram o governo, mas os manifestantes consideraram a medida uma artimanha que não vai detê-los do objetivo de derrubar o presidente.

Os cristãos são uma minoria no país e pertecem às Igrejas Copta, ortodoxa e católica. No total, eles equivalem a entre 6% e 10% dos cerca de 80 milhões de habitantes, a maioria muçulmanos sunitas.

Na noite do Ano Novo, um atentado matou 21 fiéis e feriu dezenas de pessoas em Alexandria, no Egito.

Fonte: Canção Nova

Postado por Jessé Santos - PASCOM

Nenhum comentário:

Postar um comentário