quinta-feira, 16 de junho de 2011

26ª Festa de Santo Antônio em Desterro

Do dia 01 ao dia 13 de junho, a comunidade do Desterro festejou seu Santo Padroeiro, Santo Antônio. A trezena contou com a participação de grupos, pastorais, comunidades e movimentos de nossa Paróquia; além da visita de padres e diáconos convidados.
No primeiro dia da festa, 01 de junho, foi realizada a procissão da bandeira de Santo Antônio, que saiu, às 18h, da residência do casal Manoel Egidio e Maria de Loudes, em direção à Capela. No local foi celebrada a Santa Missa que deu início ao festejo. A celebração foi presidida pelo padre Manoel Marques e animada pelo Grupo de Canto Renascer.
Já no dia 13 de junho, dia dedicado ao Santo Antônio, a comunidade realizou dois momentos importantes. Às 06h foi realizado o Ofício dos Santos. O ponto auge do Festejo teve início às 18h com a procissão do Glorioso Santo Antônio que saiu da Capela e retornou à mesma, após percorrer algumas ruas do bairro. Às 19h teve início a Celebração Eucarística presidida pelo padre Manoel Marques e animada pelo ministério de Música Anunciação de Maria. Ao fim da celebração os fiéis presentes receberam o pão de Santo Antônio que foi aspergido e abençoado pelo padre celebrante, e puderam presenciar uma bela queima de fogos de artifícios.

Veja abaixo as fotos do dia 13 de junho:
Fotos cedidas por Maria Betânia.

 

 

 

 

 








Para conhecer um pouco sobre a vida de Santo Antônio - Doutor da Igreja - acesse o link abaixo:

O pão de Santo Antônio
A história do "Pão de Santo Antônio" remonta a um fato curioso que é assim narrado: "Antônio comovia-se tanto com a pobreza que, certa vez, distribuiu aos pobres todo o pão do convento em que vivia. O frade padeiro ficou em apuros, quando, na hora da refeição, percebeu que os frades não tinham o que comer: os pães tinham sido roubados".
Atônito, foi contar ao santo o ocorrido. Este mandou que verificasse melhor o lugar em que os tinha deixado. O Irmão padeiro voltou estupefato e alegre: os cestos transbordavam de pão, tanto que foram distribuídos aos frades e aos pobres do convento.
Até hoje na devoção popular o "pãozinho de Santo Antônio" é colocado, pelos fiéis nos sacos de farinha, com a fé de que, assim, nunca lhes faltará o de que comer.
Mais do que a lenda da origem do "Pão de Santo Antônio", importa perceber toda a riqueza do seu simbolismo. Sem dúvida ele revela toda a riqueza da dimensão apostólica da vida de Santo Antônio. (...) Através de Santo Antônio, Jesus continua a realizar o grande milagre da multiplicação dos pães. Jesus tem compaixão da multidão faminta e multiplica o pão para saciar-lhe a fome.
Extraído da Revista "Grande Sinal", autoria de Frei Alberto Beckhauser, ofm

Nenhum comentário:

Postar um comentário