quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Dom Fernando Saburido: há 2 anos na arquidiocese

Completados hoje dois anos à frente da Arquidiocese de Olinda e Recife, o arcebispo dom Fernando Saburido tem especialmente três motivos para comemorar. Com um perfil que preza pelo diálogo e pela aproximação da Igreja Católica com o povo, o religioso conseguiu mudar a organização da arquidiocese, seguindo a metodologia proposta pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Das metas iniciais daquele 16 de agosto de 2009, apenas uma ainda falta ser cumprida. Na tarde de ontem, o arcebispo relembrou as mudanças e os desafios encontrados nesses dois anos, e antecipou as novas propostas para a arquidiocese.

“São dois anos de trabalho intenso e nos preocupamos muito em re-estruturar a arquidiocese, principalmente em três pontos. Primeiro foi a descentralização, através de cinco vicariatos episcopais, que ficam responsáveis pelas paróquias de uma determinada área. Outro passo bem significativo foi a criação das 12 comissões pastorais voltadas para diversas missões. Além disso, também iniciamos as visitas às paróquias para conhecê-las mais de perto”, disse o arcebispo.

Atualmente, 103 paróquias distribuídas em 19 municípios são ligadas à Arquidiocese de Olinda e Recife, totalizando uma legião de mais de quatro milhões de pessoas. E chegar a todas essas paróquias é o desafio atual de dom Fernando, que já encontrou o que pode ser melhorado dentro da arquidiocese. “Nosso desafio maior é criar uma cultura missionária. É procurar fazer por onde a Igreja conscientize seu povo que os leigos são os protagonistas da missão”, explicou. Ainda para esse ano, dom Fernando pretende concretizar uma de suas metas iniciais, reativar na arquidiocese as Santas Missões Populares, que visam despertar nos cristãos a vocação missionária.

As obras físicas também estão nos planos do religioso. Porém, após ter encontrado a arquidiocese em crise econômica, o arcebispo ainda enfrenta a falta de investimentos para a reforma da antiga sede da arquidiocese, onde funciona hoje a Cúria Metropolitana, no bairro da Várzea.

O investimento poderia ser obtido através da indenização da desapropriação do terreno do Hospital Psiquiátrico Ulisses Pernambucano, na Tamarineira, anunciada pela Prefeitura do Recife. Mas um ano após o impasse, dom Fernando afirma que não foi procurado pelo órgão. “Tive conhecimento pela Imprensa de que a prefeitura estava procurando arquitetos para fazer o projeto da área, mas até o presente momento não fomos notificados. Não houve nenhuma negociação com a arquidiocese”, informou.

Sobre o papel do arcebispo, dom Fernando destaca o que aprendeu ao longo desses dois anos. “O arcebispo tem que ser um ponto de unidade, procurar fazer esse exercício. Temos que investir na unidade e sermos abertos ao diálogo”, frisou. A comemoração dos dois anos de dom Fernando Saburido como arcebispo de Olinda e Recife acontecerá no próximo sábado, na Igreja Nossa Senhora de Fátima, no bairro da Boa Vista. Na ocasião também será celebrado os 11 anos do ordenamento de dom Fernando como Bispo. Ainda na celebração, serão ordenados 11 diáconos.

Reportagem: Juliana Aretakis
Folha de Pernambuco – 16/08/2011

Fonte: Site da AOR

Nenhum comentário:

Postar um comentário