domingo, 18 de setembro de 2011

Multidão acompanha os primeiros shows do Bote Fé à espera da chegada dos símbolos da JMJ


Mais de 50 mil pessoas (dados da Polícia Militar de São Paulo) já circulam no Campo de Marte, local escolhido pela arquidiocese de São Paulo, para sediar o Bote Fé, evento de acolhida dos símbolos da Jornada Mundial da Juventude (Cruz e o Ícone de Nossa Senhora), que chegaram ao Brasil para uma peregrinação que durará dois anos e passará por todos os Regionais da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB).
Ao todo são 30 atrações musicais, momentos de orações, contemplações, além do ponto alto do encontro, que é a chegada dos símbolos ao Campo de Marte, às 16h. Um missa está marcada para este horário, e contará com a presença do arcebispo de São Paulo, cardeal dom Odilo Pedro Scherer, do presidente da CNBB, cardeal dom Damasceno Assis, do secretário geral da CNBB, dom Leonardo Steiner, do presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Juventude, dom Eduardo Pinheiro, do arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, do bispo auxiliar de São Paulo, dom Tarcísio Scaramussa e de autoridades civis.
Pontualmente às 10h, dom Odilo Pedro Scherer, fez a acolhida da multidão presente. Em seu discurso, o arcebispo de São Paulo se mostrou muito contente com a resposta dos jovens ao pedido de participação do Bote Fé. “Sabia que podia contar com a presença dos jovens de São Paulo e de outros estados que se fazem aqui presentes. Sejam bem-vindos a um dos maiores eventos católicos do mundo, que é a Jornada Mundial da Juventude. Hoje se inicia a JMJ no Brasil, e com o apoio de vocês faremos a maior Jornada Mundial da Juventude que o mundo já presenciou. Tenho certeza que o Santo Padre também deve estar muito contente com a presença de todos vocês aqui para louvar o nome de Cristo”, disse dom Odilo.

Dom Eduardo Pinheiro ficou impressionado com a multidão presente em São Paulo. “Está um calor muito forte, e mesmo assim os jovens continuam chegando de várias partes do Brasil, e isso é magnífico. É uma resposta dos jovens brasileiros ao mundo. Eles mostram que já estão inseridos na JMJ e na Palavra de Deus”, destacou dom Eduardo, que completou explicando a opção que a Igreja no Brasil fez. “A Igreja fez uma opção bem clara pelos jovens, e não poderíamos esperar nada além desse espetáculo de louvor e clamor a Deus que eles fazem aqui hoje”.

Segundo dom Tarcísio Scaramussa, bispo auxiliar de São Paulo, o evento de São Paulo é apenas o ponta pé inicial da “grande jornada” que virá. “São Paulo é apenas o primeiro de 17 outros eventos do Bote Fé que a Igreja no Brasil promoverá. Tenho certeza, vendo a empolgação desses jovens, que está será a maior peregrinação que já realizada com os símbolos da JMJ num país sede”, disse.
Após a missa das 16h, o arcebispo do Rio de Janeiro, dom Orani João Tempesta, fará o lançamento oficial do site da Jornada Mundial da Juventude de 2013.
A previsão da organização é que o público chegue a casa das 90 mil pessoas. Na programação do Bote Fé estão previstos os shows de: padre Fábio de Melo, Reginaldo Manzotti, padre Heveraldo, padre Gleuson, da banda Dom, Beatrix, Eliana Ribeiro, entre muito outros.
Bote Fé
Segundo dom Eduardo Pinheiro, o evento Bote Fé é um projeto de propagação da JMJ que tem o apoio da CNBB. Ele [Bote Fé] contempla a peregrinação, os shows musicais, atividades religiosas e serve para provocar, na Igreja do Brasil, em todas as suas instâncias, "uma abertura maior para com a juventude, acreditando em sua riqueza, em vista do crescimento da Igreja na construção de um mundo novo".
"O Bote Fé é um conjunto de momentos e movimentos que quer proporcionar outros eventos maiores. Quer renovar a fé e provocar dois segmentos: o combate as drogas e as violências implicadas em seu consumo e venda; e a utilização das novas mídias de maneira adequada e com os princípios cristãos", explicou dom Eduardo.
Fonte: CNBB

Nenhum comentário:

Postar um comentário